O EMPREGO DOS ASTROS 2020 E SUA SUBORDINAÇÃO:

UMA OPÇÃO VIÁVEL

Autores

  • Haryan Gonçalves Dias
  • Túlio Endres da Silva Gomes
  • https://doi.org/10.21826/01021788326506 .

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v32i65.953

Palavras-chave:

Astros 2020. Míssil Tático de Cruzeiro. Logística. Coordenação. Medidas de coordenação., Astros 2020.Tactical Missile of Cruise. Logistics. Coordination. Measures., : Astros 2020; Misil táctico de crucero; Logística; Coordinación; Medidas de coordinación.

Resumo

O Exército Brasileiro vem-se modernizando nos últimos anos. Nesse contexto, um de seus Projetos Estratégicos é o Astros 2020, uma plataforma de lançamento de mísseis e foguetes de excepcional capacidade de prestar o apoio de fogo. Particularmente, quando esse material é dotado com o Míssil Tático de Cruzeiro (MTC) AV-TM 300,a questão de sua subordinação vem à baila. A Nota de Coordenação Doutrinária (NCD) Nr 03, de 2015 –Emprego da Artilharia de Mísseis e Foguetes de longo alcance, que é o documento doutrinário mais atualizado sobre o Sistema, vislumbra-o como devendo estar subordinado à FTC (Força Terrestre Componente). No entanto, este é um sistema com possibilidades de emprego mais estratégicas e operacionais que, propriamente, de nível tático. Tal ponto de vista decorre do fato de que a logística para o MTC e seu desdobramento, as coordenações para o emprego, os alvos de interesse e as medidas de coordenação que permitem sua utilização com segurança e eficiência, indicam como possível e viável a subordinação desse Sistema diretamente ao COM TO (Comandante do Teatro de Operações), sob a forma de um Comando de Artilharia do TO, por exemplo. Demonstrar isso é o objetivo desse artigo, que não exclui a subordinação à FTC em determinados casos, mas propõe outra opção aceitável.E, para chegar a esse intento, segue-se uma metodologia que se utiliza da comparação da NCD com manuais que já estão em uso e aprovados pelo Ministério da Defesa (MD) e pelo Exército Brasileiro (EB), aprovados mediante processo técnico de construção, como preconizado no Sistema de Doutrina Militar Terrestre (SIDOMT, EB10-IG-01.005) e nas Instruções Gerais para as Publicações Padronizadas do Exército (EB10-IG-01.002). 

Downloads

Publicado

31-12-1969

Edição

Seção

Artigos