AVALIAÇÃO DA DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA DO BRASIL, NO SETOR AEROESPACIAL, COM VISTA AO DESENVOLVIMENTO E À SEGURANÇA DO PAÍS

Autores

  • Paulo Afonso de Oliveira Soviero

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v0i25.805

Resumo

Este trabalho trata da dependência tecnológica do Brasil, no setor aeroespacial, e de suas implicações no desenvolvimento e na segurança do país. Inicialmente procura-se demonstrar a estreita ligação que existiu entre desenvolvimento tecnológico e ciência, no setor aeroespacial. Nos diversos países do mundo onde a aeronáutica floresceu pode-se constatar a existência de universidades e centros de pesquisas que, aparentemente desvinculados da realidade local e imediata, lançavam as bases do desenvolvimento futuro. Em seguida tenta-se compreender porque motivos o Brasil demorou tanto tempo pra se desenvolver no campo aeronáutico. Constata-se que a raiz do problema residia na falta de recursos humanos em nível adequado, algo que só foi corrigido cerca de 40 anos depois do histórico vôo de Alberto Santos Dumont. As principais etapas da caminhada brasileira, que se inicia de modo eficaz após a criação do ITA, são descritas de modo a permitir ao leitor parâmetros de comparação com outros países, principalmente em termos de datas. Passa-se em seguida à análise dos diversos aspectos da dependência tecnológica. A partir do conceito doutrinário de tecnologia chega-se ao conceito de independência tecnológica em relação a um bem ou serviço; ou seja, à detenção do conjunto organizado de todos os conhecimentos científicos, empíricos ou intuitivos empregados na produção e na comercialização daquele bem ou serviço. Vários aspectos da dependência tecnológica são abordados, alguns deles bastante específicos do setor aeroespacial devido à grande horizontalização do setor. Em seguida estuda-se a influência da dependência tecnológica, na segurança e no desenvolvimento do país segundo as quatro expressões do poder nacional ressaltando-se seus efeitos mais relevantes. Finalmente são estudados os óbices ao desenvolvimento do setor aeroespacial brasileiro onde a persistente crise econômica do país assume papel preponderante. Este trabalho se conclui pelo estudo da política que visa obter autonomia tecnológica em proveito da indústria aeronáutica nacional e pela sugestão de algumas estratégicas necessárias a essa política, em termos de recursos humanos, pesquisa e desenvolvimento.

Downloads

Publicado

31-12-1969

Edição

Seção

Artigos