A INDÚSTRIA ESPACIAL BRASILEIRA: ALTERNATIVAS PARA A SUA SUSTENTAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICA DE ANÁLISE DA MATRIZ SWOT

Autores

  • Carlos Alberto Gonçalves de Araujo

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v32i63.478

Palavras-chave:

Espaço. Indústria. Lançador de Satélite. Satélite. Desenvolvimento.

Resumo

O avanço tecnológico, a partir de meados do século passado, tem contribuído para um crescimento sistemático do mercado espacial, sobretudo pelos países mais industrializados. Todavia, desde os primórdios da chamada corrida espacial, o Brasil demonstrou interesse em fazer uso desses recursos contando com o então Centro Técnico Aeroespacial (CTA), em projetos de acesso ao espaço, e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dando ênfase no desenvolvimento de satélites e subsistemas afins. O objetivo deste trabalho é propor orientações estratégias com a finalidade de dar sustentabilidade à indústria espacial brasileira, como um dos elos do sistema espacial, em parceria com o governo, centros de pesquisa e recursos humanos especializados. Para tal, efetuou-se uma análise dos ambientes externo e interno visando identificar oportunidades e ameaças e pontos fortes e fracos. Para o ambiente externo, realizou-se uma pesquisa bibliográfica e, no interno, aplicou-se um questionário a peritos com larga experiência no campo espacial. Processou-se essa gama de informações utilizando a técnica da análise da matriz SWOT1, que permitiu fazer um mapeamento do nosso sistema espacial e definir vetores estratégicos com vistas a criar condições de sustentabilidade para a indústria nacional nessa área. 

Downloads

Publicado

31-12-1969

Edição

Seção

Artigos