LIMITES DO MEIO AMBIENTE:

A Modernização

Autores

  • Mônica Di Masi

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v20i44.351

Resumo

Este trabalho procura fazer um levantamento da situação ambiental no Brasil e no mundo, traçando um histórico dos resultados das ações humanas na Terra, levantando os dados atuais disponíveis e traçando um prognóstico para o futuro, correlacionando-os com a modernização, e buscando identificar os limites do meio ambiente ao desenvolvimento e à modernização do mundo e do País. De acordo com os dados levantados neste estudo a civilização humana já ultrapassou os limites da sustentabilidade. As condições de vida na Terra tendem a se degradar muito nas próximas décadas, agravando problemas como fome, seca, inundações e outros em algumas partes do globo. A geopolítica mundial será afetada por estes problemas; novos conflitos internacionais podem surgir. São apontadas no estudo as contradições da civilização moderna, que tornam impossível o caminho da sustentabilidade. O desenvolvimento da tecnologia dá mais eficiência ao uso dos recursos, mas não tem sido suficiente. A globalização acirra as desigualdades mundiais e a busca por lucro, suplantando a preocupação com o meio ambiente. São expostos também aspectos da política internacional em torno das causas ambientais. O Brasil, detentor de grande biodiversidade, grandes áreas florestais e grande quantidade de água doce, não tem tradição de cuidado com o meio ambiente. A degradação é acelerada. Finalmente, o estudo aponta diretrizes para, se não evitar, minimizar os impactos, adiando-os enquanto não se realizam as mudanças estruturais necessárias à sociedade na direção da conciliação com o meio ambiente.

Downloads

Publicado

31-12-1969

Edição

Seção

Artigos