REGIÃO AMAZÔNICA:

Novas Ameaças e Possíveis Respostas

Autores

  • Laura Maria Corrêa de Sá Freire

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v20i44.347

Resumo

O objetivo desta monografia é a apresentação de uma possível resposta às novas ameaças que se apresentam à Região Amazônica. Inicia-se o trabalho pela discussão de que embora o país esteja passando por um período de estabilidade da moeda o crescimento verificado não está sendo suficiente para gerar o desenvolvimento sustentado que se almeja. Com a certeza de que o país precisa crescer e que deve explorar todas as suas potencialidades a Amazônica é apresentada com suas riquezas e com as ameaças que estão de toda forma se opondo às ações de desenvolvimento para a região. As políticas e estratégias para sanar os problemas identificados foram buscadas e analisadas. O Brasil não tem um programa para o desenvolvimento da Amazônia inscrito em um projeto de país. A Amazônica precisa ser inserida na cadeia produtiva nacional, como área estratégica para a segurança e a manutenção da soberania nacional. Se os brasileiros não a ocuparem e a explorarem, principalmente, os recursos naturais, outros o farão. O que se identifica é que o país não tem políticas estruturadas e planejadas de médio e longo prazo que coordenem e integrem todas as ações de governo para a obtenção do desenvolvimento sustentado. Este projeto só será conseguido através de um planejamento estratégico sólido e com ferramentas prospectivas. A solução apresentada é o método de Planejamento Estratégico da ESG não só para a região Amazônica, mas para todo o Brasil. O Método é ferramenta forte o suficiente para a coordenação e integração de políticas e estratégias que propiciem o desenvolvimento de forma integrada e sustentável, que garanta o êxito dos programas e ações de governo e a eficácia no uso dos recursos públicos na busca do Bem Comum.

Downloads

Publicado

31-12-1969

Edição

Seção

Artigos