ALÉM DA GUERRA FRIA:

A Flexibilidade Estratégica e o Controle de Armas Nucleares dos EUA e da URSS / Rússia

Autores

  • Diego Santos Vieira de Jesus

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v25i52.261

Palavras-chave:

Política Externa. Segurança Internacional. EUA. Rússia. Controle de armas. Armas nucleares.

Resumo

Os objetivos deste artigo são examinar o papel do controle de armas nucleares na construção do relacionamento estratégico entre os EUA e a URSS / Rússia ao longo das últimas cinco décadas e explicar por que tais países optaram por instrumentos legais com diferentes níveis de precisão para o controle de sistemas atômicos. O controle de armas nucleares criou condições para a limitação da competição numa corrida armamentista acirrada, a redução de custos políticos e econômicos da preparação para o combate e a diminuição da probabilidade e do risco de guerra. A forma e o conteúdo dos instrumentos legais para a administração dos recursos de violência na área nuclear resultaram das alterações das preferências dos Executivos dessas potências em relação ao balanço entre os sistemas ofensivos e defensivos e ao papel da dissuasão.

Downloads

Publicado

25-08-2017

Edição

Seção

Artigos