A AMAZÔNIA FRANCESA:

AS PERCEPÇÕES MILITARES SOBRE O DEPARTAMENTO ULTRAMARINO FRANCÊS NA AMÉRICA DO SUL E AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO EM SEGURANÇA E DEFESA NA FRONTEIRA FRANCO-BRASILEIRA

Autores

  • Adriana A. Marques

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v29i59.191

Resumo

Desde a década de 1990, especialmente após a realização da Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente no Rio de Janeiro, em 1992, a diplomacia francesa vem se esforçando para mostrar que a França, sendo detentora do departamento ultramarino da Guiana, é um país amazônico que tem fortes laços com a América do Sul, logo, é um ator importante a ser ouvido nas questões ambientais contemporâneas. Mais recentemente, o estabelecimento de uma parceria estratégica com o Brasil e o agravamento de problemas como o garimpo e a imigração ilegal na Guiana Francesa têm levado as autoridades metropolitanas a enfatizarem o fato de que a maior fronteira terrestre da França é com o Brasil, portanto, seria conveniente que os dois países cooperassem nas áreas de segurança e defesa. Este artigo apresentará as ideias centrais de uma pesquisa que tem como objetivos analisar as percepções dos militares franceses sobre os problemas de segurança e defesa que afligem a Amazônia e avaliar quais são as possibilidades e os entraves para a cooperação militar entre o Brasil e França na fronteira terrestre entre os dois países.

Downloads

Publicado

25-08-2017

Edição

Seção

Artigos