AERONAVES REMOTAMENTE PILOTADAS: UM PROJETO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA NACIONAL DE DEFESA

Autores

  • Bruno Barbosa Fett de Magalhães
  • Francisco Carlos Teixeira da Silva

DOI:

https://doi.org/10.47240/revistadaesg.v30i61.158

Palavras-chave:

Aeronave Remotamente Pilotada. Veículo Aéreo Não Tripulado.

Resumo

O presente trabalho destina-se a ressaltar a importância para o Brasil do desenvolvimento do projeto de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP) e suas repercussões para as expressões militar, econômica, política e científicotecnológica do Poder Nacional. A Estratégia Nacional de Defesa, alinhada à Política Nacional de Defesa, estabelece como diretriz a realização de investimentos para o desenvolvimento de tecnologias autóctones e de emprego dual. Nesse contexto, sobressai o Projeto de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), elencado como prioritário pelo Ministério da Defesa e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Em relação às expressões militar e científico-tecnológica, será demonstrada a sua relevância no processo de modernização das Forças Armadas por meio da sua inserção nos respectivos projetos. Quanto à expressão econômica, será enfatizado o impacto dessa iniciativa no processo de reestruturação da Indústria Nacional de Defesa e os consequentes reflexos para a economia do Brasil. Por fim, no que tange à expressão política, será destacada a atualidade do projeto quanto ao atendimento às demandas operacionais do Departamento de Operações de Paz da Organização das Nações Unidas, vetor de projeção internacional do País. Assim, ao final, pretende-se demonstrar a importância e os benefícios, para o Brasil, da sua entrada no rol de países detentores dessa tecnologia.

Downloads

Publicado

14-08-2017

Edição

Seção

Artigos