A ESTRUTURA DISCURSIVA DOS MINISTROS DE RELAÇÕES EXTERIORES BRASILEIROS PARA A ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA (1952 - 2012)

Autores

  • Felipe Ferreira de Oliveira Rocha
  • Ana Carolina de Oliveira Assis Universidade Federal de Pernambuco

Palavras-chave:

Política Externa Brasileira. Análise de Política Externa. Segurança e Defesa. Escola Superior de Guerra. Mineração de texto., Política Externa Brasileira, Análise de Política Externa, Segurança e Defesa, Escola Superior de Guerra, Mineração de texto

Resumo

Como os discursos dos Ministros de Relações Exteriores (MRE) brasileiros feitos
para a Escola Superior de Guerra (ESG) se estruturaram entre 1952 e 2012? Para
responder essa pergunta, o artigo utiliza técnicas de Mineração Textual e de
Análise de Conteúdo em um banco de dados ainda pouco explorado pela literatura
especializada. Demonstramos semelhanças e diferenças nas prioridades retóricas
da diplomacia brasileira ao interagir com a ESG; uma das principais esferas de
construção do pensamento estratégico-militar brasileiro. Nossos achados comparam
as prioridades discursivas durante e depois da Guerra Fria e eles indicam que MRE
mudaram seus discursos de forma a adicionar centralidade a novos conceitos,
temas e países. Além do mais, discursos feitos depois da Guerra Fria são menos
orientados geopoliticamente e mais universais, inclusivos e autonômos.

Biografia do Autor

Felipe Ferreira de Oliveira Rocha

Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Sergipe. Desenvolve pesquisa nos seguintes temas: Análise de Política Externa, Política Externa Brasileira e Métodos em Relações Internacionais. Entre setembro de 2019 e fevereiro de 2020, esteve no Latin American Centre da Universidade de Oxford como bolsista de doutorado sanduíche; participando do programa PRINT - Programa Internacional de Institucionalização cuja instituição de fomento foi a CAPES. É membro (pesquisador) do Núcleo de Estudos de Política Comparada e Relações Internacionais - NEPI/UFPE/CNPq.

Ana Carolina de Oliveira Assis, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduada no curso de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba e Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco. Membro do Grupo de Pesquisa O Brasil e as Américas (UFPE) e Grupo de Pesquisa sobre Estratégia e Segurança Internacional (UFPB). Tem experiência nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais, com pesquisas sobre Defesa, Marinha, Geopolítica e Armamentos Navais.

Publicado

04-01-2022

Edição

Seção

Artigos